STJ define que não incide IRPJ sobre honorários pagos a administradores e conselheiros

As empresas têm o direito de deduzir, na apuração do lucro real que servirá como base de cálculo para o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica, os honorários pagos a seus administradores e conselheiros, independentemente de serem mensais e fixos.

Esse foi o entendimento da 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou indevidas as restrições impostas às empresas pelas normas da Receita Federal para a cobrança do IPRJ.

 O precedente pode motivar o ajuizamento de novas ações pelos contribuintes por todo o Brasil.

LEI DEVERIA VETAR A DEDUTIBILIDADE

O ponto nodal está na incidência do artigo 43, parágrafo 1º, alínea ‘b’ do Decreto-Lei 5.844/1943.

A norma diz que serão adicionados ao lucro real, para tributação do IRPJ, os valores retirados das empresas que não forem debitados como despesas gerais e também aqueles que, mesmo escrituradas nessas contas, não corresponderem à remuneração mensal fixa por prestação de serviços, essa regra não incide sobre os honorários pagos aos administradores e conselheiros, mesmo que eventuais, porque eles se enquadram como despesas operacionais da empresa.

Como todos os custos e despesas são dedutíveis da base de cálculo do IRPJ no lucro real, a restrição dessa dedução é que deveria estar prevista em lei. Em vez disso, a restrição aparece no artigo 31 da Instrução Normativa 93/1997 da Secretaria da Receita Federal, um ato infra legal que não tem tamanho poder.

Facebook: https://www.facebook.com/wittadv/

Instagram: https://www.instagram.com/wittadv/

Caso deseje entrar em contato conosco, basta clicar em um dos links que você será redirecionado ao nosso Whatsapp:

https://api.whatsapp.com/send?phone=5541991721800

https://api.whatsapp.com/send?phone=5511971566049

https://api.whatsapp.com/send?phone=5511971566049

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Rolar para cima